segunda-feira, 11 de maio de 2009

Despedida

Eu tenho pensado em deixar esse mundo. Tenho pensado muito nisso. Não é a primeira vez que isso acontece... Às vezes eu penso muito na morte. Eu estou cansada, aflita, angustiada, tenho medo do que possa acontecer, tenho medo de enfrentar o mundo, isso me deixa ansiosa. Me sinto sozinha, incapaz, descartável e inútil. É, poderiam dizer que isso é apenas uma fase, que tudo vai melhorar. Bom, me sinto num constante estado de infelicidade a mais de 6 anos, isso eu posso dizer o estado em que eu realmente tomei consciência do meu sofrimento, talvez tenha começado a mais tempo sem que eu percebesse. Isso vem me estragando, influenciando minhas escolhas... minha vida, de alguma forma, deixou de ser só minha. Parece que não sei quem eu sou, deixei de ter sonhos, objetivos e vontades, passei a fazer tudo o que deveria fazer, tudo o que me mandavam fazer, sem ter desejo algum de fazer. Não me sinto bem nem fora nem dentro de casa, com o tempo eu aprendi a controlar meus impulsos, agora eu não sei mais se vou conseguir, talvez porque no fundo não são mais só impulsos, por dentro eu cansei de lutar, mas em algum lugar eu sei que no momento em que desistir das coisas (mesmo que sejam só obrigações), estarei verdadeiramente morta. O intuito de escrever isso primeiramente foi o de me despedir para o caso de não conseguir controlar algum impulso de morrer. Parece que apenas dei justificativas e desabafei. Acho que se eu me for de verdade, não vai ser grande surpresa pra ninguém, todos devem compartilhar comigo o mesmo sentimento de inutilidade ou invisibilidade que eu tenho sobre mim. Não vai ser uma surpresa. Existem pessoas que eu não queria deixar ou que eu não queria que sofressem, embora algumas eu acho que só sofreriam o suficiente pra elas mesmas não se sentirem mal. É injusto que alguém como eu viva, enquanto milhões de pessoas querem viver e não poderão fazer isso por muito tempo. Não fico feliz por elas e espero que ninguém fique. O fato de alguém estar numa situação ruim não deve ser motivo de força para ninguém. Quero agradecer aos que realmente têm algum carinho por mim, vocês me ajudaram mais do que poderiam imaginar, principalmente aos meus amigos-sem-rosto da internet, as horas com vocês foram as melhores. Obrigada. Desculpem. Acredito que existe outro mundo, um mundo melhor, só não sei se serei aceita nele.

Raquel

3 comentários:

Bleeding Angel disse...

Sei exatamente como se sente Raquel. Tbm acho q naum faria mta falta, talvez pra uns dois amigos virtuais apenas... Serah q estamos sendo egoistas? Naum... acho q estaum sendo conosco.

um pouco..... disse...

ja li varias vezes seu bloque e enunca tem postagem novas gostarai e saber como vc esta agora se esta melhor ? se puder entre em contato meu msn e mil_freitas@hotmail.com
abraço ...

Ana Paula disse...

Por favor, esteja viva